Interpet de Junho: PET Educação presente!

No sábado, dia 24/06, nas dependência da FAURB, ocorreu mais um InterPET, o tradicional encontro ds grupos PET da UFPel.
Presentes, do PET Educação, a Cinara Postringer, a Érica Leopoldo e a Tamires Goulart, além da tutora, professora Cristina Rosa.
Na chegada, um belo café da manhã em ritmo de festa junina: bolo, café e outras guloseimas títpicas. A mesa, toda enfeitada, continha caixas e guardanapos de chitão, para aprimorar o clima. O pátio da FAURB foi todo preparado para receber a todos e, com o clima bem ameno, foi uma hora de alegria e compartilhamento.
Logo que foi finalizado o café, nos dirigimos para o audittótrio, que ficou lotado. Em clima de confraternização e amizade, todos os grupos se misturaram e muitos estudantes novos foram apresentados aos demais.
Os temas na pauta:
1.   O Intepet iniciou com uma apresntação, pela Tutora, das qualidades e responsabilidades do PET FAURB. Bem interessante, todos ouviram com atenção. Uma das diferenças e novidade é a viagem de estudos que todos organizam e que não é apenas para o grupo. Outra, a quantidade de estudantes voluntários atuando no PET.
2.    Depois, aprovação da pauta;
3. Aprovação da Ata do Interpet de maio;
4. Apresentaçao dos trabalhos premiados no SULPET, uma de nossas propostas aprovadas no Interpet de maio, na ESEF. Neste ponto, pudemos conhecer os trabalhos do PET GAPE e PET Diversidade, ambos premiados.
O primeiro deles tratou de um Sinalário criado para apresentar o folclore brasileiro e seus personagens aos surdos. O outro, da pesquisa empreendida para conhecer quem são os estudantes "não padrão" na UFPel (estudantes mãe, estudantes mais velhos, etc). 
5. Infomes sobre o ENAPET, sob responsabilidade da Ane (PET Diversidade);
6. Informes sobre a Festa Junina e rifa, sob responsabilidade da Ane (PET Diversidade)
7. Desafio Interpet: em clima de cinema (luzes apagadas, música e projeçao de um curta com imagens do grupo de petianos realizando o desafio do PET ESEF), mais um desafio da brincadeira lançada o Interpet da ESEF foi cumprido pelo grupo PET Agronomia. A tarefa, fazer flexão com sacos de batata, correr com sacos de batata nas pernas, levar uma capa até os colegas e trocar de "atleta" foram cumpridas à risca. Aguardemos os próximos momentos. Vem muita brincadeita por aí...

PET Educação presente na Semana do gostar de ler...

Na semana do Gostar de ler, a Sala de Leitura Erico Verissimo  - que é apoiada pelo PET Educação - viveu momentos intensos. Após a publicação no Blog dos resultados da pesquisa “O que são ‘coisas de mulher’?, no dia 19/06, a Sala de leitura não parou mais de inventar alegrais para a semana entre 19 e 24/06/2017.
 Na terça, dia 20/06, foi a vez da Aula pública de Literatura Infantil com o tema A invenção da literatura infantil no RS: João Simões Lopes Neto e Erico Verissimo;
Na quarta, dia 21/06, foi a vez do estudo e ensaio de leitura da obra A Zeropéia, de Herbert de Souza. Considerada um marco da “literatura infantil para pensar”, o estudo visou aprender a apresentar A Zeropéia às crianças entre dois e 11 anos e a ministrante foi a Drª Cristina Maria Rosa.
No dia 22/06, quinta-feira, a Fada, a Bela, A Girafalda Bichófila e a Bruxa Aprendiz visitaram a Escola Municipal de Educação Infantil João Guimarães Rosa. O objetivo foi ler e encantar os pequeninhos. Como EMEI – Escola Municipal de Educação Infantil – lá têm bebês e crianças pequenas e quem pensa que eles não se concentram, observe aí as imagens...
A Pedagoga Mônica, que havia nos convidado, mandou o seguinte recado, depois que o grupo voltou para a Faculdade:
“Professora Cristina e equipe! Muito obrigada! As crianças, todas, desde o berçário até a minha turminha de pré-escolar ficaram simplesmente encantadas. Amaram tudo. Fizeram perguntas difíceis para as personagens e elas entraram na brincadeira, não se intimidaram. Enfim, foi mágico. Obrigada em nome da escola, das crianças e em meu nome mesmo!”.
Foi neste dia também que recebemos o parecer do COCEPE – Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFPel sobre nossa proposição de Projeto de Extensão:
“O COCEPE em 22.06 de 2017 aprovou o parecer da Comissão de Extensão - CE, favorável ao Projeto de Extensão Sala de Leitura Erico Verissimo. Constitui-se em um Projeto de Extensão que agrega diferenciadas, permanentes e eventuais ações de extensão cujo tema central é a leitura literária e nela, a formação de leitores literários na Universidade e na Sociedade”. Com este parecer favorável, a Sala de Leitura deixou de ser uma ideia e tornou-se institucionalizada na UFPel.
Na sexta, dia 23/06, foi a vez das crianças do CRAS –Centro de Referência de Assistência Social Vida Ativa – serem recebidas na Faculdade de Educação. Lá, a Bela e a Cláudia as esperavam e foi uma alegria só a leitura de A Zeropéia, de Herbert de Souza. Depois, os adereços da sala enfeitaram as crianças que agradeceram e prometeram voltar.
No sábado, último dia da semana, uma reunião importante ocorreu: o grupo de estudos do Projeto de Extensão Leitura para Menina se reuniu e definiu agenda e atuação no segundo semestre de 2017.
A Leitura Literária na Sala de Leitura Érico Verissimo acontece todas as semanas, basta agendar que sua escola será bem recebida.
A sala de leitura e a formação do leitor literário
As micropolíticas de leitura literária desencadeadas pela Sala da Leitura buscam aproximar universitários dos livros e do gosto por ler, além de estabelecer contato profícuo com a escola e os futuros leitores.
Integrada à Pedagogia, a Sala de Leitura é um espaço de exercício qualificado dos saberes literários como saberes docentes (PAULINO, 2001) e pauta-se pelo argumento de que a formação do mediador literário é estruturador e primordial no exercício cotidiano da docência, nos anos iniciais da escolarização.
Pesquisas indicam que a totalidade das crianças que chegam à escola pública precisam ser alfabetizadas literariamente (ROSA, 2015), uma vez que parte considerável das famílias das quais são oriundas, leem pouco ou quase nada. Resultados de pesquisas recentes indicam que o acesso à leitura literária e o consequente conhecimento de obras, gêneros, ritos e benesses das práticas, ocorre primordialmente na escola e deve ser considerado como um dos saberes na formação de leitores. Sem essa “apresentação”, a leitura tem vida curta nos poucos anos de escolaridade a que são submetidos os filhos das classes populares e cabe ao docente – ao professor dos anos iniciais, especialmente do primeiro ao quinto – ser capaz de tornar o experimento com os primeiros livros e a variedade de gêneros, uma experiência na vida dos pequenos.
Ao propor e desenvolver micropolíticas de leitura, entre elas, visitas guiadas para conhecimento do acervo e do espaço, cursos livres, saraus literários, pesquisas sobre o livro e a literatura e aulas em ambientes, a sala tem se tornado um lócus desencadeador de relações múltiplas com o livro e a literatura, mas, também, com a formação de leitores e mediadores.
Venha conhecer a Sala de Leitura Erico Verissimo. 
Ela está localizada no Andar Térreo do ICH e desenvolve eventos gratuitos que focam a formação do leitor literário.
Acompanhe a agenda do GELL – Grupo de Estudos em Leitura Literária – no Blog da Sala de Leitura!

Identidade letrada na Pedagogia: o que é isso?

Por que conhecer o perfil leitor dos estudantes de Pedagogia?
O que objetivam questões como livros indicados, seus autores, títulos e temas?
Uma possível resposta é por ser, ou dever ser, a licenciatura em Pedagogia, uma “comunidade de leitores”, na medida em que oferece ou deveria oferecer, “condições de excelência para o desenvolvimento de repertórios de saber mais alargados sobre o mundo, a língua e a literatura, seus valores e papéis, mas, sobretudo, de modos próprios de ser leitor, ou seja, da identidade letrada” (Dionísio, 2014).
Para saber mais sobre o tema, acompanhe os resultados iniciais da pesquisa que vem sendo desenvolvida pelo PET Educação acerca do Perfil leitor dos estudantes de Pedagogia da FaE/UFpel.
E leia, no Glossário CEALE, a interessante publicação de Maria De Lourdes Dionísio, professora do Instituto de Educação da Universidade do Minho – Portugal, que explora teoricamente que são "Comunidades de leitores”. 

Aula Pública na semana do gostar de ler...

Ocorreu ontem dia 20/06, a Aula pública de Literatura Infantil.
O tema, escolhido previamente, foi A invenção da literatura infantil no RS: João Simões Lopes Neto e Erico Verissimo.
O local escolhido foi a Sala 103, localizada no andar térreo do Intituto de Ciência Humanas da UFPel.

A sala de leitura e a formação do leitor literário
As micropolíticas de leitura literária desencadeadas pela Sala da Leitura buscam aproximar universitários dos livros e do gosto por ler, além de estabelecer contato profícuo com a escola e os futuros leitores.
Integrada à Pedagogia, a Sala de Leitura é um espaço de exercício qualificado dos saberes literários como saberes docentes (PAULINO, 2001) e pauta-se pelo argumento de que a formação do mediador literário é estruturador e primordial no exercício cotidiano da docência, nos anos iniciais da escolarização.
Ao propor e desenvolver micropolíticas de leitura, entre elas, visitas guiadas para conhecimento do acervo e do espaço, cursos livres, saraus literários, pesquisas sobre o livro e a literatura e aulas em ambientes, a sala tem se tornado um lócus desencadeador de relações múltiplas com o livro e a literatura, mas, também, com a formação de leitores e mediadores.

Gostar de ler: uma semana apoiada pelo PET Educação!

A Sala de Leitura Erico Verissimo (FaE/UFPel) localizada no Andar Térreo do ICH, está desenvolvendo uma série de eventos em junho.
Apoiada pelo PET Educação, a sala está propondo e desenvolvendo micropolíticas de leitura, entre elas, visitas guiadas para conhecimento do acervo e do espaço, cursos livres, saraus literários, pesquisas sobre o livro e a literatura e aulas em ambientes não convenionais. Assim, tem se tornado um lócus desencadeador de relações múltiplas com o livro e a literatura, mas, também, com a formação de leitores e mediadores.
Na semana entre 19 e 23, haverá, todos os dias, um pequeno evento: é a semana do gostar de lerAcompanhe a agenda do GELL – Grupo de Estudos em Leitura Literária – e participe. Os eventos são abertos e gratuitos.

Semana do gostar de ler.

19/06 – Publicação no Blog da Sala de leitura Erico Verissimo dos resultados da pesquisa O que são “coisas de mulher”? A investigação e seus resultados integra a formação das estudantes de Pedagogia e se insere na micropolítica Leituras para Meninas, desencadeada em 08 de março de 2017. Para saber, clique em http://saladeleituraericoverissimoufpel.blogspot.com.br/

20/06 – Aula pública de Literatura Infantil. Tema: A invenção da literatura infantil no RS: João Simões Lopes Neto e Erico Verissimo.

Local e hora: Sala 103, Térreo do ICH/UFPel (9-11 horas):

21/06 – Estudo da obra A Zeropéia, de Herbert de Souza. Obra considerada um marco da “literatura infantil para pensar”, o estudo visa aprender a apresentar A Zeropéia às crianças entre dois e 11 anos.
Ministrante: Drª Cristina Maria Rosa
Local e hora: Biblioteca da E.E.E.F. Fernando Treptow (9-11 horas);

22/06 – Leitura para crianças: o GELL visita a Escola Municipal de Educação Infantil João Guimarães Rosa. 

Local e hora: Avenida Herbert Hadler, 1310 - Fragata, 9-11 horas;

23/06 – Leitura Literária na Sala de Leitura: O GELL recebe as crianças do CRAS Vida Ativa – Centro de Referência de Assistência Social.
Local e hora: Sala de Leitura, 9-11 horas.

A sala de leitura e a formação do leitor literário
As micropolíticas de leitura literária desencadeadas pela Sala da Leitura buscam aproximar universitários dos livros e do gosto por ler, além de estabelecer contato profícuo com a escola e os futuros leitores.
Integrada à Pedagogia, a Sala de Leitura é um espaço de exercício qualificado dos saberes literários como saberes docentes (PAULINO, 2001) e pauta-se pelo argumento de que a formação do mediador literário é estruturador e primordial no exercício cotidiano da docência, nos anos iniciais da escolarização.
Pesquisas indicam que a totalidade das crianças que chegam à escola pública precisam ser alfabetizadas literariamente (ROSA, 2015), uma vez que parte considerável das famílias das quais são oriundas, leem pouco ou quase nada. Resultados de pesquisas recentes indicam que o acesso à leitura literária e o consequente conhecimento de obras, gêneros, ritos e benesses das práticas, ocorre primordialmente na escola e deve ser considerado como um dos saberes na formação de leitores. Sem essa “apresentação”, a leitura tem vida curta nos poucos anos de escolaridade a que são submetidos os filhos das classes populares e cabe ao docente – ao professor dos anos iniciais, especialmente do primeiro ao quinto – ser capaz de tornar o experimento com os primeiros livros e a variedade de gêneros, uma experiência na vida dos pequenos.

14 de junho: reunião PET Educação

No dia 14 de junho, às 9 horas, ocorreu mais uma das reuniões ordinária do PET Educação.
Os pontos da pauta discutidos foram:                        
1. Pesquisa perfil leitor: relatos e procedimentos;                        
2. Confromação da visita das Coordenadoras da Pedagogia ao PET Educação;                        
3. Conformação dos representantes ao Interpet que ocorrerá em 24/06/2017;                       
4. Avaliação da participação do Grupo no Curso Curto Qorpo Santo Diabos e Fúrias;                        
5. Participação do grupo no Evento Poder Escolar;
6. Outros assuntos.                        

Curso Curto Qorpo Santo Diabos e Fúrias: PET Educação presente!

Apoiado pelo PET Educação e em conjunto com a Sala de Leitura Erico Verissimo ocorreu, na semana que passou (06 a 09 de junho de 2017) o Curso Curto Qorpo Santo Diabos e Fúrias. Com 48 incritos, as datas de realização do evento foram a quarta-feira, dia 07 de junho - na qual houve o estudo da obra em grupo - e a sexta-feira, dia 09/06, reservada para o diálogo com o escritor.
Programa
Após a leitura prévia da obra ocorrida em maio de 2017 e do encontro de estudos entre os jovens da Escola de Ensino Médio Eraldo Giacobbe, com as mediadoras Érica Machado Leopoldo e Beatriz Helena da Rosa Pereira (manhã do dia 07 de junho), chegou o dia de encontrar Luís Dill, o escritor. O “Diálogo com o Autor” aconteceu na sexta-feira, dia nove de junho, entre as 17 e as 20 horas na Livraria Vanguarda Técnicos.
O romance
Escrita por autor gaúcho – Luís Dill – a obra Qorpo Santo: Diabos e Fúrias é um romance que apresenta ao leitor em processo fragmentos interessantes da vida e obra de um dramaturgo gaúcho morto há 130 anos. Nomeado como precursor do “teatro do absurdo”, o escritor gaúcho que viveu entre 1829 e 1883, de acordo com Luís Dill, ainda merece muitos outros olhares e o dele, foi registrado em seu livro. A ausência do dramaturgo, poeta e escritor no calendário cultural do rio grande do sul - muitos nnca ouviram falar de Qorpo Santo - indica que este gaúcho de Triunfo ainda é um estranho na literatura brasileira.
O mote para a escrita de Dill – um romance – foi notíricas da encenação de três das muitas peças de Qorpo-Santo em Porto Alegre, em 1966, 100 anos depois da escrita de seus textos.
Qorpo-Santo diabos e fúrias foi composto, desse modo, com base naquela referida noite e levando em conta a vida - pelos registros conturbada - e a obra do dramaturgo. O livro apresenta uma estrutura diferenciada, com depoimentos de pessoas que gostam de literatura e de dramaturgia. Um dos ápices é o depoimento do diretor da peça reencenada. O compositor da música de cena também foi incluído, e vale cnhecer suas impressões.
Quem foi Qorpo Santo?
José Joaquim de Campos Leão é um personagem real. Redescoberto por Aníbal Damasceno Ferreira por volta de 1950, o grande achado foi um volume com 17 peças que representa, até hoje, a parte mais conhecida da produção de Qorpo Santo, de acordo com Prikladnichi (ZH, 16/11/2013).
A primeira montagem de três de suas peças ocorreu em 1966: um sucesso de público e de crítica. A segunda encenação foi no Rio de Janeiro, em 1968. A partir disso, Qorpo Santo recebeu o título de precursor do teatro do absurdo, tornando “parcialmente obsoletos todos os livros de história da dramaturgia brasileira".
Desconhecido do grande público e tendo raros registros preservados, a linguagem teatral de Qorpo Santo, - um sujeito que pensou em uma ortografia para a língua portuguesa - e suas atitudes conhecidas ainda são incompreensíveis. No entanto, suas palavras sobre o confinamento e sua avidez pela produção nos fazem pensar.
Diálogo com Luís Dill
No diálogo com o autor de Qorpo Santo: Diabos e Fúrias (Artes & Ofícios, 2017), o público pode conhecer detalhes de seu processo criativo, no qual recortes de jornais, pesquisa em arquivos e entrevistas com pessoas que de algum modo ocuparam-se do tema foram explicitadas. O grupo que ouviu Dill ficou encantado com a diversidade, qualidade e profundidade da pesquisa empreendida pelo autor porto-alegrense, que guarda em seu escritório, envelopes com material para cada um dos livros que escreveu ou pretende escrever.
Jornalista, premiado escritor gaúcho, Luís Dill é autor de mais de 50 livros para jovens e adultos. Um deles, porém, é para a infância: Arca de Haicais. Nele, uma arca - com animais como na de Noé - apresentada através do formato Haicai, estes "poeminhos" curtos e inteligentes, inusitados, curiosos, que parecem terem sido inventados assim, como quem não quer nada. 
Poema de origem japonesa que chegou ao Braisl nos anos 20 do século passado, o Haicai é, para Luis Camargo, um tipo de poema como quadrinha e limerique, por exemplo. Leia um dos que se encontram em Arca de Haicais, de Luís Dill:

A beleza do coelho

Quase naõ cabe
Dentro do espelho.

O PET Educação e a Sala de Leitura Erico Verissimo: uma parceria de grande valor
Curso Curto Qorpo Santo Diabos e Fúrias foi ofertado em quatro momentos:
Maio: publicaçõ do evento na página da ufpel e oferta de inscrição online gratuita com limite de 50 vagas;
Maio a Junho: leitura prévia;
Junho, dia 07estudos com mediadores;
Junho, dia 09: diálogo com o Autor.

O evento, promovido e desenvolvido pela Sala de Leitutra Erico Verissimo, foi foi apoiado pelo PET Educação. A direção da FaE/UFPel esteve presente na abertura e comemorou mais uma das parcerias Pet Educação e Sala de Leitura.
Após o encontro com Luís Dill, novas ideias surgiram. Fique atento, em breve, elas estarão por aqui.
Para saber mais...
Quer saber mais sobre Qorpo Santo? Leia o livro de Luís Dil.
Quer saber o que a imprensa noticiou? Clique em: http://zh.clicrbs.com.br/rs/entretenimento/noticia/2013/11/morto-ha-130-anos-o-escritor-qorpo-santo-continua-sendo-um-nome-a-ser-descoberto-4335955.html

Quintal ao Lado: expoisção de arte e leitura literária

Escrito em 2016, Quintal ao Lado é uma narrativa poética da escritora Cristina Maria Rosa. Compartilhado via web, o liovro digital pode ser impresso e presenteado ou integrar o acervo pessoal ou de de escolas.
Para a narrativa e como presente à autora, foram compostas cinco ilustrações com diferentes técnicas: lápis de cor, têmpera e giz de cera sobre sulfite, todas pela Helena Xavier. A presença dela na expposição e suas palavras a respeito das técnicas escolhidas encantaram os presentes. Helena tem apenas 11 anos e foi aplaudida pela família, amigos e estudantes e professores da UFPel.
O gênero – a narrativa poética – foi escolhido pela autoria por ser muito adequado à temática: um lamento pelo fim dos quintais nas casas em que já não há crianças e balanços. Depois de ilustrado, o escrito transformou-se em livro digital.
Narrativa poética
A narrativa poética é uma especialidade de Mario Quintana. Como leitora do poeta gaúcho, Cristina inspirou-se em Sapato Florido, e escolheu nele uma pérola para ilustrar o gênero:

A Princesa
Quando lhe perguntaram o nome,
Lili espantou-se muito:
Ué! Mas todo mundo sabe...

O evento
Na Quinta, dia 08/06, à tardinha (18horas e 30 minutos), ocorreu a leitura pública do livro digital "Quintal ao Lado". Junto com a leitura, o público pode deleitar-se com a exposição dos originais de Helena Xavier, a menina que criou um grupo de imagens para o conto. Incorporados ao projeto gráfico, foram os desenhos de Helena que tornaram Quintal ao Lado imperdível.
A leitura e a exposição ocorreram na Sala de Leitura Erico Verissimo (Rua Alberto Rosa, 154/Sala 04. ICH/UFPel). Apoiado pelo PET Educação que preparou o ambiente e potinhos com Balas de Goma em retribuição à presença dos convidados, foi um anoitecer de alegria e encantamento. A menina Helena brilhou ao esclarecer aos presenters os passos dados para a feitura de seus desenhos e aquarelas.
Para conhecer a obra completa e solicitar o envio online do arquivo digital, acesse http://crisalfabetoaparte.blogspot.com.br/2016/09/quintal-ao-lado-um-livro-digital-poetico_23.html.

Leitura na FaE: Pet Educação presente!

Promovido pela Sala de Leitura Erico Verissimo e com o apoio do PET Educação, o curso Qorpo Santo Diabos e Fúrias teve início hoje, dia 07 de junho de 2017.
Mediado pela Mestre em Literatura Beatriz Helena da Rosa Pereira e pela Licenciada em Filosofia e Graduanda em Pedagogia Érica Machado Leopoldo, o foco foi a obra Qorpo Santo Diabos e Fúrias, de Luís Dill. O curso será encerrado com a presença do autor, no dia 09 de junho, a partir das 17 horas, na Livraria Vanguarda Técnicos.
Meninos e meninas, a professora e a bibliotecária...
Acompanhados da Professora Juliane da Silveira Garcez e da Bibliotecária Adriana da Silva Sanches, os jovens estudantes do 2º Ano do Ensino Médio da Escola Eraldo Giacobe aprenderam e ensinaram.
Na sala 101 da FaE/UFPel, Allan Mendes, Eduarda Borges, Gabriela Borba, Grazieli Rosa, Guilherme Stallbaum, Hyhickle Umetsubo, João Pedro Apolinário, João dos Reis, Juan Pablo Costa, Julia de Almeida, Karen Antunes, Lucas Mascarenhas; Lucas Assunção, Monique Esteves, Natanael de Oliveira, Rafael Penning, Thalia Torbes, Vitória Fonseca, Vitória Soares, William Cardoso e Yuriki Pedroso mostraram a todos que a leitura é ponte para criar novas e interessantes relações.
Depois do compromisso, a moçada visitou a Sala de Leitura Erico Verissimo, tomou café, dialogou e nos encantou.
Leia a Sinopse da obra, de autoria da Érica Machado Leopoldo...
São cinco os jovens integrantes do grupo M.O.R.T.E: Olívia, Enrique, Raian, Melissa e Ticiane. Eles têm como objetivo ensaiar a peça A caseira, criação do grupo, para apresentação no Teatro Armando Albuquerque, na escola que estudam. Pela controversa temática e diante de críticas de alguns professores, o grupo decide conhecer e ensaiar a peça As relações naturais, de Qorpo Santo, tão polêmica quanto a construída pelo grupo. Jovens estudantes que vivem em um período recente da história brasileira – 2013, o ano das manifestações intensas nas ruas – expressam opiniões diferente sobre questões políticas e morais. Com seus “pensamentos questionadores” e sentindo o peso do movimento de mudança em suas vidas sociais e como indivíduos, conseguem manter um convívio harmonioso durante os “ensaios”. Ao “comparar” o tempo em que vivem com a Porto Alegre de Qorpo Santo – um gênio e/ou doido que escreveu incessantemente não foi compreendido pelos seus, sendo internado muitas vezes em hospícios –, os jovens amadurecem e oferecem paralelos entre 2013 e 1866.Se ainda hoje a genialidade e a audácia de Qorpo Santo são questionadas, como falar de Qorpo Santo? Como abordar Luís Dill? A obra de Dill fala de Qorpo Santo?

Sala de Leitura integra Curta Institucional da FaE

A Sala de Leitura Erico Verissimo recebeu no dia de hoje, primeiro de junho de 2017, uma visita inusitada: uma equipe de estudantes de jornalismo e cinema vinculados ao PET GAPE, tutoriado pela professora Lilian Lorenzato. O objetivo da visita foi inserir a sala e seus projetos em um Curta institucional da FaE/UFPel.
Encomendado ao PET GAPE pelas coordenadoras da Licenciatura em Pedagogia, professoras Mara Osório e Valdelaine Mendes, o curta objetiva apresentar aos estudantes da Pedagogia todos os docentes (formação e linha de trabalho), seus ambientes de pesquisa e extensão e seus projetos.
Criada para promover a leitura literária no espaço acadêmico, a Sala de Leitura Erico Verissimo foi e tem sido responsável por propor e desenvolver micropolíticas de leitura. Entre elas, visitas guiadas para conhecimento do acervo e do espaço, cursos livres – como o Mediadores em Leitura Literária –, Saraus literários, pesquisas sobre o livro e a literatura e aulas em ambientes não convencionais como o corredor em frente à sala que se localiza no térreo do ICH.
Inaugurada em 17/12/2015, a sala funciona com a supervisão da Drª Cristina Maria Rosa (FaE/UFPel) e com o trabalho de estudantes (bolsistas PET e voluntários) da Licenciatura em Pedagogia. A cada semestre, oferece uma grade de horários em que pode ser visitada/usada, priorizando os momentos livres dos estudantes, como o intervalo entre turnos, por exemplo.

Para conhecer a sala e participar de suas atividades, fique atento ao BLOG do PET Educação e à página da UFpel. A programação é sempre atualizada e comunicada com antecedência. Gratuitas, todas as atividades são certificadas.

31/05/2017: Reunião PET Educação

Registro da Reunião Ordinária do Grupo PET Educação ocorrida em 31/05/17:

Com a presença da Tutora, Drª Cristina Maria Rosa e das estudantes Cinara Postringer, Cláudia Souza, Érica Leopoldo, Gabriela Leal, Ieda Kurtz, Leonardo Capra, Maiara Kringel, Priscila Brock, Rafaela Camargo, Rafaela Engrácio e Tamires Goulart, a reunião ordinária do PET Educação teve como pontos debatidos os seguintes:
a)    Definição de escrita da ATA da Reunião: Ficou acordado que todos devem escrever e enviar à Tutora, até a meia noite do dia de hoje, o regsitro escrito da reunião. O objetivo é aprender/qualificar a escrita desse importante documento que integra os saberes de um pedagogo;
b)    Camisetas PET: Pagas com recursos do Custeio, é necessário tirar as medidas individuais para a confecção. Poderá ser confeccionada nas cores azul marinho ou branco, modelo gola polo com a logomarca bordada em laranja.
c)    Jornal do PET: Rafaela Camargo apresentou o modelo do jornal do PET UEM, como sugestão. Em Word e com ISSN, foi considerado uma possibilidade para o nosso. Decidiu-se por uma equipe responsável por propor, até a 1ª semana de julho, um esboço. Liderada pela Rafaela, a equipe foi composta pelas seguintes petianas: Cinara, Maiara, Tamires e Priscila. Como sugestão, a primeira edição abordará os 10 anos do grupo.
d)    Recepção à nova bolsista: após informes da seleção para uma vaga à bolsista PET Educação ocorrida em maio/2017, o grupo acordou que realizará um café da manhã, na próxima quarta-feira, para receber Paula Penteado, nova integrante;
e)    Planejamento aprovado: Já está publicado no Blog do PET (canal oficial de comunicação do Grupo com Reitoria/MEC/Sociedade) o Planejamento 2017. Recentemente aprovado pelo CLAAPET, nele estão todas as atividades propostas e a serem realizadas pelo grupo em 2017, ano letivo que ocorre entre 24 de abril 2017 a 01 de março de 2018;
f)     Pesquisa perfil leitor do estudante de Pedagogia: ficou agendado as manhãs de terças-feiras (das 8 às 12) como dia de aprendizagem e computação dos dados que vem sendo coletados pelos questionários. Outros momentos de encontro para o mesmo fim podem ocorrer e serão informais;
g)    Recepção às Coordenadoras da Pedagogia: o convite foi enviado e estamos esperando uma resposta;
h)    ENAPET: o PET Educação não enviará nenhum representante ao ENAPET, que ocorrerá em Brasília, DF;
i)     Executiva: informes da Gabriela Leal e Rafaela Camargo (representantes PET Educação na EXECUTIVA dos grupos PET/UFPel) revelaram que a Executiva não aprovou nossa proposição de arrecadação de fundos para o ENAPET (partilhar os custos da viagem entre todos os integrantes dos grupos, tutores e petianos). Manteve sua proposta de realização de uma festa e acrescentou a de uma rifa. Após um breve diálogo, decidimos, por votação e com resultado de maioria simples, que o PET  Educação não apoiará nenhuma das duas proposições;
j)      Festa 10 anos PET Educação: Dialogamos sobre algumas ideias a respeito de como comemoraremos os 10 anos do grupo que ocorrerá em setembro de 2017. Ficou acordado que todos devem pensar e propor alternativas para esse dia/semana;
k)    MPU: a Bolsista Gabriela Leal informou que estão abertas as inscrições para o MPU, evento científico que ocorre no próximo semestre na FURG.
Sem mais assuntos a tratar, a reunião foi encerrada às 11h.